Evento astronômico no equinócio da primavera de 2017 e o Apocalipse 12.

Autora: Ana Hoffmann.

Neste artigo pretendo expor alguns fatos e observações de fenômenos realizados por diversas autoridades em astronomia, astrologia, teologia, ufologia, entre outros, sem a pretensão de chegar a uma conclusão final, no entanto, incentivo a leitura para que todos estejam cientes deles.

Como bons montanhistas, seguimos em direção as montanhas quase todos os fins de semana, procurando sempre estar conectados com a Grande Mãe Natureza, bem como com o Grande Deus do Universo, observando e contemplando as maravilhas que se encontram entre os céus e a terra. Assim como nas civilizações antigas, procuramos estar conectados com a natureza nas passagens dos equinócios e solstícios, e busquei algum evento astronômico para observação durante a passagem do equinócio da primavera deste ano.

Sabemos que os equinócios e solstícios são celebrados desde as antigas civilizações e por inúmeras culturas. O equinócio da primavera ocorre por volta de 20 de setembro (Hemisfério Sul) e é celebrado através de comemorações como: o Festival de Hathor no Egito, o de Afrodite em Chipre, o de Eostre na Escandinávia e o de Olwen na Bretanha. Desta forma egípcios, gregos, celtas e druidas comemoravam com a chegada da primavera o equilíbrio entre o dia e a noite, a igualdade entre luz e sombra, a fertilidade e germinação de sementes para o futuro plantio [1]. A ufologia supõe que na passagem dos equinócios e solstícios ocorram a abertura de portais dimensionais, expandindo a consciência humana e concretizando contatos extraterrestes [2]. Então, observei o evento astronômico no dia 23 de setembro de 2017, onde haverá o alinhamento da Constelação de Leão (estrela Regulus), dos planetas Vênus, Marte e Mercúrio, do Sol dentro da Constelação de Virgem, do Planeta Júpiter junto à estrela Spica e da Lua em fase minguante.

23 set 1Fonte: Aplicativo Star Walk 2. Versão 2.3.9.5. Desenvolvedor: Vito Technology

Ao me aprofundar no assunto, percebi que alguns sites e estudiosos indicavam este evento astronômico como um sinal dos céus e que estava descrito na Bíblia, mais precisamente em Apocalipse 12: 1-5 [3], onde diz:

1E viu-se um grande sinal no céu: uma mulher vestida de sol, tendo a lua debaixo dos pés e uma coroa de doze estrelas sobre a cabeça. 2E estava grávida e com dores de parto e gritava com ânsias de dar à luz. 3E viu-se outro sinal no céu, e eis que era um grande dragão vermelho, que tinha sete cabeças e dez chifres e, sobre as cabeças sete diademas. 4E a sua calda levou após si a terça parte das estrelas do céu e lançou sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho. 5E deu à luz um filho, um vara, que há de reger todas as nações com vara de ferro; e seu filho foi arrebatado para Deus e para o seu trono.

Sempre me questionei como as antigas civilizações transcreviam e passavam suas informações de forma poética, mística e enigmática, bem como as lendas, mitos, contos e toda a nossa história foi e ainda é baseada em situações astronômicas, pois as antigas civilizações não tinham internet, livros, nem smartfones, e passavam horas a fio observando e contemplando a natureza, os céus, a terra e os eventos astronômicos que incidiam com o passar dos tempos.

Desde a aurora dos tempos, o homem constata no cosmos regularidades que não falham: dias e noites, estações, fases da lua e a posição de astros e estrelas, e desde muito cedo a atenção do homem foi atraída por fenômenos astronômicos. Já bem antes de ler e escrever, o homem  conhecia as fases da lua, suas constelações e a volta periódica das estações, constatando as relações entre certos fenômenos celestes e terrestres, o percurso do Sol pelo zodíaco, fases lunares relacionada a intensidade das mares [4].

Toda especulação é bem-vinda, e se tentarmos desmistificar o que está descrito pelo autor do Apocalipse 12, temos a seguinte formação:

- O sinal será vindo dos céus (E viu-se um grande sinal no céu), como descrito na Bíblia e teremos este evento astronômico nos céus em setembro de 2017.

- A mulher grávida reporta a Constelação de Virgem que desde o dia 20 de novembro de 2016 recebe o planeta Júpiter em sua constelação, porém o mesmo só entrou no “ventre” da Constelação de Virgem por volta do dia 15 de dezembro de 2016, e que se manterá até 23 de setembro de 2017 em movimento retrógrado, um período de 307 dias ou 44 semanas.

- Júpiter é o maior planeta do sistema solar, considerado pela astronomia como o Planeta-Rei, podendo ser observável a olho nu e com magnitude aparente máxima de -2,94, sendo o quarto objeto mais brilhante do céu, depois do Sol, da Lua e de Vênus [5]. Já para a astrologia, Júpiter é considerado o planeta mais importante, goza dos poderes inerentes a sua posição, encarnando o princípio de autoridade, da ordem e do equilíbrio [6].

- Após este período de 44 semanas ou 10 meses, em 23 de setembro de 2017, Júpiter sairá da Constelação de Virgem (E estava grávida e com dores de parto e gritava com ânsias de dar à luz) e estará o Sol em ascendência por trás (uma mulher vestida de sol), e abaixo observaremos a lua em fase minguante (tendo a lua debaixo dos pés).

- O alinhamento inicia-se com a estrela Regulus (Constelação de Leão), e os planetas: Vênus, Marte e Mercúrio, sendo que a Constelação de Leão é composta por 9 estrelas notáveis e observáveis a olho nu (Regulus, hLeão, Algieba, Aldhafera, Ras Elasad Borealis, Ras Elased Australis, Zosma, Chort e Denebola [7]), totalizando 9 estrelas e 3 planetas (9+3=12) (uma coroa de doze estrelas sobre a cabeça).

Quanto a passagem que se refere ao grande dragão vermelho (E viu-se outro sinal no céu, e eis que era um grande dragão vermelho, que tinha sete cabeças e dez chifres e, sobre as cabeças sete diademas), existem várias especulações que nos levam a inúmeras pressuposições, sendo elas:

- A passagem de algum cometa ou meteoro, pois Júpiter é atingido frequentemente por asteroides e cometas e impactos são registrados de tempos em tempos, como o caso mais famoso, do cometa Shoemaker-Levy 9 que ocorreu em 1994,  quando o poder gravitacional de Júpiter quebrou o cometa em 12 partes e 5 grandes explosões foram observadas, deixando algumas “cicatrizes” no Hemisfério Sul do planeta, podem ser observados até hoje através de lunetas e telescópios [8].

- A aproximação do Planeta Nibiru (ou Marduk, Hercolubus, Planeta X, Planeta Vermelho…) que se encontra em algum lugar próximo da nossa constelação, especula-se que seu movimento de translação dure 3.600 anos (1 shar para Nibiru). Assim, ele poderia estar em qualquer lugar muito próximo ou muito longe de nosso planeta, e que nossos telescópios e sondas não conseguem detectá-lo, mesmo utilizando lentes infravermelhas. Segundo estudiosos, Nibiru é um planeta imenso, com uma órbita gigantesca, que não absorve luz, de coloração avermelhada e extremamente fria. Em 2016, o Google criou o Google Sky Map, um aplicativo que reúne fotos e ajuda a identificação de planetas, estrelas e constelações, tendo a NASA a fornecedora das fotos para consulta. Ao adicionarmos a ferramenta infravermelho, percebe-se uma inconsistência ao verificarmos a constelação de Virgem. Um corte ou falha bem próxima a uma das pernas da constelação [9]. Como podemos observar:

1) Primeira verificação, sem a ferramenta infravermelho

23 set 2Fonte: Google Sky – https://www.google.com/sky/

2) Segunda verificação, ativando a ferramenta infravermelho. Percebe-se uma falha/tarja na perna da Constelação de Virgem.

23 set 3Fonte: Google Sky – https://www.google.com/sky/

3) Uma terceira verificação com mais zoom e a ferramenta infravermelho acionada, mantendo o mesmo padrão.

23 set 4Fonte: Google Sky – https://www.google.com/sky/

4) Ao procurar outras possíveis “falhas” no aplicativo, percebe-se que não existe nada igual ou parecido em outras constelações, somente cortes diagonais (as fotos foram registradas através do telescópio Hubble e em 360o).

23 set 5Fonte: Google Sky – https://www.google.com/sky/

Há ainda uma passagem de continuação no livro do Apocalise 12: 7-8 [10] que relata:

7E houve batalha no céu: Miguel e seus anjos batalhavam contra o dragão; e batalhavam o dragão e seus anjos. 8Mas não prevaleceram; nem mais o seu lugar se achou nos céus.

Ainda tenho dúvidas em relação a esta passagem, mas há um tempo venho observado diversas mensagens de Arcanjo Miguel e suas orações de purificação e limpeza espiritual (21 dias – 7x7x7), e muito citado como membro da Grande Fraternidade Branca e na invocação da Chama Trina. Miguel em hebraico significa “aquele que é similar a Deus” e considerado pelo povo hebreu como “um príncipe que defende as crianças do seu povo” [11], não estranhando que o mesmo entra em conflito com o dragão para proteger o filho recém-nascido (Júpiter).

É surpreendente e magnífico o grau de coincidência (ou não…) que há entre o evento astronômico com o que está descrito no Apocalipse, no mais, existem outros acasos que nos fazem adentrar e pesquisar mais sobre este assunto, como o fato do ano 2017, pelo calendário gregoriano, ser um ano cabalístico (2+0+1+7 = 10, 1+0=1), ano de fins de ciclos e recomeço. E o ano 5777 pelo calendário hebraico, onde 5 é considerado o número da graça e 7 o completo, o tudo, ou seja, 777, três vezes completo ou triplo completamento. O 7 também é um número místico da Cabala, que significa a perfeição divina. Não é por acaso o número 7 se apresenta simbolicamente em tantos fatos, como: as 7 cores do arco-íris, os 7 chakras, os 7 pecados capitais, 7 dias da semana, 7 notas musicais, entre outras.

Outro fato importante que a tradição astrológica demonstra é 2017 ser o ano que inicia e Era de Saturno, onde a cada 36 anos um astro governa e influencia imprimindo suas características durante todo o seu ciclo. De 1981 até 2016 a Terra esteve sob a Era do Sol caracterizado o espírito de brilho pessoal, egocentrismo, necessidade de marcar a individualidade no mundo, percebe-se que nos últimos anos um individualismo exorbitante, ouviu-se muito a palavra EU (meus direitos, minhas escolhas, meus desejos, minhas necessidades, …), onde tudo parecia girar em volta do indivíduo (como tudo gira em torno do Sol) e a necessidade de ser centro das atenções. A partir de 2017 haverá uma dissolução destes sentimentos com o advento da Era de Saturno, e nos influenciará por 36 anos, sendo Saturno um divisor de águas, havendo uma expansão de consciência onde o coletivo será mais importante. Com isso, uma sensação maior de responsabilidades e deveres, o mundo material cede espaço para o mundo espiritual, a sabedoria e a experiência humana [12].

Devo mencionar também as evidências de aproximação da “Data Limite”, descrita pelo médium Chico Xavier durante o programa “Pinga Fogo”, no ano de 1971. Chico Xavier refere que desde a chegada do homem à Lua em 1969, as chamadas “potencias celestes”, concederam a humanidade uma chance, e que se convivessem em paz e sem uma guerra ou confronto de proporções apocalípticas pelos próximos 50 anos (a data limite está prevista para 2019) a humanidade estará pronta para adentrar em uma nova era de sua existência e feitos arrebatadores seriam verificados por todas as partes [13].

Existem também uma série de acontecimentos que fazem “aniversário” no ano de 2017, sendo o mais importante deles o centenário das aparições de Fátima, onde Nossa Senhora do Rosário se apresentou em diversas datas para 3 crianças portuguesas na cidade de Nossa Senhora de Fátima, revelando um conjunto de segredos (o terceiro segredo somente foi revelado no ano 2000) e trazendo ao mundo uma mensagem de luz e bondade, sendo que o evento astronômico/sinal do apocalipse de 2017 se dará 3 semanas antes do cumprimento do centenário (13 de outubro de 1917). Assim foi descrito:

A 13 de outubro, era imensa a multidão que acorrera à Cova da Iria: 50 a 70 mil pessoas. A maior parte chegara na véspera e ali passara a noite. Chovia torrencialmente e o solo se transformara num imenso lodaçal. Três vezes o Sol, girando loucamente diante dos olhos de todos, se precipitou em ziguezague sobre a terra, para pavor da multidão que, aterrorizada, pedia a Deus perdão por seus pecados e misericórdia. O fenômeno durou cerca de 10 minutos. Todos o viram, ninguém ousou pô-lo em dúvida, nem mesmo livres-pensadores e agnósticos que ali haviam acorrido por curiosidade ou para zombar da credulidade popular. Não se tratou, como mais tarde imaginaram pessoas sem fé, de um fenômeno de sugestão ou excitação coletiva, porque foi visto a até 40 km de distância, por muitas pessoas que estavam fora do local da aparições e portanto fora da área de influência de uma pretensa sugestão ou excitação [14].

Esse assunto é inesgotável e incansável e tenho certeza que plantei uma sementinha de curiosidade para pesquisas futuras. Não tenho a mínima pretensão de ser a curadora da verdade, como referi no início do texto, mas que ocorrem coincidências (mesmo não sendo muito chegada nesse termo) que nos fazem pensar que existe muito mistério acima de nossas cabeças. Obviamente não posso afirmar que algo acontecerá em setembro de 2017, pois não tenho permissão e nem autoridade para fazer tais afirmações. Mas de fato, tenho a minha única e máxima certeza, que no dia 23 de setembro de 2017 estarei no alto de alguma montanha, aguardando o entardecer para que, com a chegada da noite, possa observar o céu estrelado e abóbada celeste, e que me traga algumas respostas e paz para o meu espírito.

P.S.: Em tempo, ao terminar este artigo, percebi que o fiz em 7 páginas… que coincidência?

Ana Hoffmann.

 

[1] PIETRO, Claudinei. Wicca para todos. 1ª edição. São Paulo: Editora Alfabeto, 2013.

[2] https://contatoalienigena.blogspot.com.br/2013/07/abertura-de-portais-dimensionais-no-sol.html

[3] Bíblia Sagrada. Apocalipse. Capítulo 12. Versículos 1 a 5.

[4] VERDET, Jean-Pierre. O Céu: mistério, magia e mito. Gallimard, 1987.

[5] Júpiter. Wikipédia. https://pt.wikipedia.org/wiki/J%C3%BApiter_(planeta)

[6] VERDET, Jean-Pierre. O Céu: mistério, magia e mito. Gallimard, 1987.

[7] Aplicativo Star Walk 2. Versão 2.3.9.5. Desenvolvedor: Vito Technology

[8] Galeria do Meteorito. http://www.galeriadometeorito.com/2016/03/jupiter-foi-atingido-por-um-asteroide-ou-cometa.html

[9] Metrópolis. Nibiru, Planeta X e contradições. http://metropolisalpha.blogspot.com.br/2016/12/nibiru-planet-x-e-contradicoes.html

[10] Bíblia Sagrada. Apocalipse. Capítulo 12. Versículos 7 a 9

[11] Miguel (arcanjo). https://pt.wikipedia.org/wiki/Miguel_(arcanjo)

[12] O Mundo de Gaya. https://omundodegaya.wordpress.com/2017/03/20/era-de-saturno-comeca-no-dia-20-entenda-mudancas-que-virao-nos-proximos-36-anos/

[13] Revista UFO. O que é o documentário Data Limite Segundo Chico Xavier? http://www.ufo.com.br/artigos/o-que-e-o-documentario-data-limite-segundo-chico-xavier

[14] Sexta Aparição e o Milagre do Sol. http://www.fatima.org.br/sexta-aparicao-e-o-milagre-do-sol

One thought on “Evento astronômico no equinócio da primavera de 2017 e o Apocalipse 12.

  1. Pingback: Ciclos planetárias uma realidade… | novaconsciência

Comments are closed.